terça-feira, 16 de setembro de 2008

A necessidade do Silêncio

A autora do blogue Tão Cheia de Tudo. Tão Cheia de Nada deixou-me um comentário, fui visitar o seu espaço e descobri um texto com o qual me identifiquei, especialmente hoje que estou cansada e dorida... Tomo aqui a ousadia de o transcrever sempre, sempre com os devidos créditos à autora, Tânia Rodrigues .:

" Por favor cala-te. Calem-se todos. Deixem o silêncio falar, que eu preciso de o ouvir. Hoje mais do que nunca, não me posso deixar adormecer e ele mantém-me acordada. Por favor desliguem os motores, baixem os estores com cuidado, fechem as portas com vagar, que eu preciso do silêncio para acordar. Escuto o que me diz, sem um pio, sem um som, sem ruído, sem contestar. Com toda a razão, tamanho é o etéreo de uma massa vasta, vazia de agudos e de graves, tamanho o alcance que pode ter quando não tem nada para dizer. Entra devagar pelas frechas das portas, pelos buracos das fechaduras, às costas de um gato, entra devagar e instala-se num canto. Ele sabe esperar. E quando tudo se cala, quando eu preciso, ele sim, começa a falar."


Eu preciso de silêncio para estar aqui a escrever...
Às vezes, sinto esta necessidade do silêncio se bem que a sua ausência se deve a uma vida cheia de pessoas e circunstâncias verdadeiramente imprescindíveis. Mais imprescindíveis que o silêncio.

3 comentários:

T disse...

Olá Ana T.
Obrigada pela referência. Certamente irei retrinbuir em breve.

Tânia Rodrigues

Ana T. disse...

Obrigada Tânia. Assim, já atribuí ao texto o nome da sua autora.
Vamos-nos lendo.
Ana

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

"Toda mulher precisa de um teto todo seu para escrever..." (Virgínia Woolf)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin