domingo, 14 de fevereiro de 2010

Poema do amor furtivo

O desejo a impele ao encontro do amante
O receio a detém por um momento
Parece a seda de um estandarte
Que ora se abandona ora se furta ao vento




OS CINQUENTA POEMAS DO AMOR FURTIVO e outros poemas eróticos da Índia antiga (introdução e versões de Jorge Sousa Braga)


Fonte: Assírio e Alvim, o site e o blogue

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin