sexta-feira, 2 de julho de 2010

"A homenagem a um Poeta que morreu é decorar-lhe os versos!"




ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA
1923-2010



Moimento



Puseram a bandeira a meia-haste
E decretaram luto na cidade,
Responsos, coroas, círios – quanto baste
Para iludir a eternidade.




Teve o nome nas ruas, em moimentos:
«Nasceu – morreu – tantos de tal – Poeta».
Houve discursos graves, longos, lentos.
- Venham todos os ventos
Do planeta!




Rasguem bandeiras, sequem flores; no céu
Se percam orações, paters e glórias
- Tudo isso é dor que não lhe pertenceu –
Destruam as estátuas e as memórias;
Que os discursos inúteis vão dispersos…



- A homenagem a um Poeta que morreu
É decorar-lhe os versos!



28 de Setembro 1949

2 comentários:

lovely kankarwal disse...

Muito bem escrito. Parabéns.

Ana Tarouca disse...

Muito obrigada mas os parabéns vão para ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA, foi ele que escreveu o poema.
Grata pela visita e pelo comentário.
Ana

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin