segunda-feira, 9 de agosto de 2010

"As mulheres são um cheiro. É pelo cheiro que as catalogamos no íntimo arquivo dos desejos"







«-...As mulheres são um cheiro. É pelo cheiro que as catalogamos no íntimo arquivo dos desejos. A que cheira uma mulher? -- perguntou-me um dia a Diana. Uma rosa cheira a rosa. Um cravo cheira a cravo. Não sei a que cheira uma orquídea. Mas sei que todas as orquídeas cheiram igual, respondi. Já as mulheres, nenhuma repete o cheiro. As que nos refrescam têm cheiro de rio, as que nos enchem têm cheiro de mar.



Todas as mulheres têm um cheiro húmido. Como a boca. Como o sexo. Só gostamos de uma mulher quando gostamos do seu cheiro. Quando tudo nos leva a bebe-la, como um chá quente, excitante, aromático. Se não gostarmos do seu cheiro não conseguimos ama-la, nem na pele nem na alma. Podemos ser amigos, companheiros, nunca amantes. Amar é beber um cheiro. É transporta-lo para dentro de nós. Amamos uma mulher quando cheiramos ao seu cheiro...»

João Morgado, Diário dos Infiéis, Oficina do Livro, 2010


Voz: Rui Almeida.
Fotos: GD Fotografias (Brasil)
Produção de vídeo: Francisco Cardona.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin