segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Mulher, teimo em ti pousar

Quem conhece esta música e poema fenomenais? Manhã. A voz é de Carlos do Carmo e a música de Pedro Abrunhosa.




Manhã, que em ti encerra

Este mar que nao se altera,
este vento na galera
que teima em ti pousar.



Madrugada, de repente
Sou pássaro sou gente,
Tão distante e nunca ausente
E teimo em ti pousar.



Mulher, minha alvorada
Tu és o vento que tarda,
Por ti pouso o cansaço
Na verdade de um poema
Na mentira de um abraço,
Teu leito é o meu regaço
Eu quero assim ficar.




Barco que torna ao porto
No teu corpo eu me aporto,
Ai fico e me recordo
E teimo em ti pousar.



Neblina, despertada
Tao leve quanto a espada,
Que se bate por tudo e nada
E teima em ti pousar.


Mulher, minha alvorada
Tu és o vento que tarda,
Por ti pouso o cansaço
Na verdade de um poema
Na mentira de um abraço,
Meu leito é o meu regaço
Eu quero assim ficar.
Na verdade de um poema
Na mentira de um abraço,
Meu leito é o teu regaço
Eu quero assim ficar.

2 comentários:

isaias carriço disse...

Você tem um mimo especial e escreve de maneira especial! Não páre!

Bjs
Isaías

Ana Tarouca disse...

Isaías

Muito obrigada mesmo!:)
Bjs
Ana

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin