sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Sangue Fresco: os vampiros de Charlaine Harris / True Blood: the vampires of Charlaine Harris


Voltei aos livros de vampiros. Bolas, fui mordida outra vez! O que vale é que dentadas literárias não provocam anemia. :)


Sangue Fresco é simultaneamente uma série de livros e de televisão.

Os livros são de uma pacata dona de casa e mãe do sul do Arkansas, E.U.A., Charlaine Harris que os começou a escrever há trinta anos. (Quem lê os livros, não diria!)

A série de televisão True Blood, da HBO, é realizada por Alan Ball e protagonizado por Anna Paquin, Stephen Moyer e Alexander Skarsgård. Baseia-se precisamente nos livros de Charlaine Harris.


O enredo consiste na descoberta por parte da humanidade da co-existência de uma sociedade altamente organizada, antiga e até aí secreta, o dos vampiros. O reajustamento social e político impõe-se. Complicadas interacções acontecem. A acção centra-se na pequena cidade de Bon Temps, no estado norte-americano do Louisiana. A personagem central é Sookie Stackhouse, uma jovem empregada de mesa atormentada pelo seu dom tão natural como involuntário e até indesejado de ler a mente dos outros humanos.

Sookie, além de provinciana e telepata, parece não ter grande amor à vida uma vez que se apaixona pelo único vampiro das redondezas, Bill Compton, mundano e misterioso ou não tivesse ele uns cento e cinquenta anos. É a partir desta relação perigosa que tudo se complica.

Talvez por sempre me ter seduzido a mitologia (grega, romana, nórdica...) e os contos de fadas ache graça a esta panóplia de vampiros, ménades, lobisomens, fadas, bruxas, metamorfos...sim, porque todas estas personagens fantásticas povoam este universo! Eu diria que é um conto de fadas sem mensagens profundas e estruturantes e com muito, muito sangue, violência e sexo. Para adultos portanto.

Comecei por espreitar a série televisiva e estranhei a violência, os exorcismos, as orgias... ná, pensei eu, isto não me interessa. É como se diz, primeiro estranha-se, depois entranha-se. Agora sou assídua.



E virei-me para os livros. O primeiro já foi. O segundo está quase. Sinceramente, não sei se terei veias para o terceiro. Charlene Harris tem uma escrita fácil, simples, directa, sem floreados nem divagações,  onde casualmente encontramos uma frase realmente boa. O facto de a sua escrita ser tão dirigida para a acção faz com que um livro se devore de rajada, sem contemplações. Não há frases para saborear demoradamente.  Não pensem no entanto, que não tem o seu mérito: pode ser extremamente difícil conseguir uma escrita seca e despojada. Eu que o diga!



O texto de apresentação da editora:
"Uma grande mudança social está a afectar toda a humanidade.Os vampiros acabaram de ser reconhecidos como cidadãos. Após a criação em laboratório, de um sangue sintético comercializável e inofensivo, eles deixaram de ter que se alimentar de sangue humano. Mas o novo direito de cidadania traz muitas outras mudanças...

Sookie Stackhouse é uma empregada de mesa numa pequena vila de Louisiana. É tímida, e não sai muito. Não porque não seja bonita - porque é - mas acontece que Sookie tem um certo "problema": consegue ler os pensamentos dos outros. Isso não a torna uma pessoa muito sociável. Então surge Bill: alto, moreno, bonito, a quem Sookie não consegue ouvir os pensamentos. Com bons ou maus pensamentos ele é exactamente o tipo de homem com quem ela sonha. Mas Bill tem o seu próprio problema: é um vampiro.

Para além da má reputação, ele relaciona-se com os mais temidos e difamado
s vampiros e, tal como eles, é suspeito de todos os males que acontecem nas redondezas. Quando a sua colega é morta, Sookie percebe que a maldade veio para ficar nesta pequena terra de Louisiana. Aos poucos, uma nova subcultura dispersa-se um pouco por todos os lados e descobre-se que o próprio sangue dos vampiros funciona nos humanos como uma das drogas mais poderosas e desejadas. Será que ao aceitar os vampiros a humanidade acabou de aceitar a sua própria extinção?"

3 comentários:

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Olá Ana!

Adorei o seu blogue. Ainda não li nenhum livro da série, mas sou fã da série de TV, que aqui no Brasil também passa na HBO, com o nome em inglês mesmo. Por aqui estamos na quarta temporada (acho) que já deve estar acabando. E, obviamente, também sou apaixonada por literatura fantástica e em especial de vampiros.
Também sou apaixonada por cães, e tenho dois. O nome do seu blogue já me chamou a atenção logo de cara. Adorei!
E, mais uma coincidência: sou portuguesa de sangue, porque meu pai é de Mirandela e meus avós todos eram portugueses.
Vou aproveitar a oportunidade para deixar um convite para você visitar o meu blogue, natrilhadoslivros.blogspot.com.

Beijinhos do Brasil!

Fernanda

Ana Tarouca disse...

Fernanda, venho de visitar seu blogue. Partilhamos várias paixões: blogues, cães e livros.
Muito obrigada
Bjs transatlânticos
Ana

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Ana!

Como diz a propaganda da Pedigree aqui no Brasil; cachorro é tudo de bom;D Ah! True blood já acabou aqui. Agora s´ano que vem.

Beijos!

Fernanda

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin