segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

"Diário dos Infiéis" é o primeiro romance de João Morgado. Venham mais! :)

"Quatro casais, oito personagens e a pergunta que nos assalta quando percebemos o fim: ainda me amas? Não sabem o que os faria felizes, nem se lembram do dia em que sentiram o peso da solidão, em que se amaram ou se desejaram. Hoje, não se reconhecem, não têm coragem para mudar de vida, para assumir o fim e procurar noutro amor o caminho de volta para o compromisso maior: ser feliz. Num diário de emoções íntimas, falam na primeira pessoa do que sentem em relação a si e aos outros. Concluem que, cada um à sua maneira, todos foram infiéis: por pensamentos, actos, ou omissões. Com vidas entrelaçadas, cada um descreve no diário a sua viagem pelo mundo do sexo, do desejo, do pudor, do egoísmo, do amor-próprio, do envelhecimento, do sonho, da morte... Enfim, a matéria-prima da qual é feita a existência de gente vulgar. «Sobre nós ninguém escreverá um romance», diz uma das personagens. Talvez desconhecendo que todos os dias a vida nos ensina o contrário".


Acabei agora de ler este Diário dos Infiéis, editado em 2010 pela Oficina do Livro.  Uma excelente surpresa: João Morgado escreve frases lindas, daquelas que voltamos atrás para voltar a saborear. Até as inúmeras descrições de cenas de sexo são descritas de forma bonita e original.

Também é um livro triste, repleto de gente infeliz, frustrada, acomodada. Infiéis nas suas relações mas sobretudo infiéis a sim mesmos, aos seus próprios sentimentos, incapazes de lutar pela sua própria felicidade.

Ao ler este romance fica-se com a impressão de tudo são traições, silêncios corrosivos e omissões, que não há casamentos felizes, o que não é verdade. Há casamentos felizes, em que se diz e se dá tudo, em que somos fiéis ao outro e a nós mesmos.

Curiosamente, nesta história de vozes múltiplas que semeiam desencontros, cobardias e infidelidades, proclamam a inexistência do amor e a omnipotência do desejo, acaba por acontecer o imprevisto: ainda há quem morra por amor.

Este é o primeiro romance de João Morgado. Venham mais! :)


2 comentários:

João Morgado disse...

Ana, obrigado pelos seus comentários. Fico feliz porque o livro não lhe foi indiferente :) beijos (João Morgado)

Ana Tarouca disse...

João,
Eu é que agradeço pelo prazer da leitura.
Beijos
Ana

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin